Inquérito

Crie seu próprio questionário de feedback de usuário

segunda-feira, agosto 31, 2009

Alto Douro Vinhateiro


S_Joao_Pesqueira_douro_socalcos04
Originally uploaded by VRfoto.

SÂO JOÃO DA PESQUEIRA (Portugal): Alto Douro Vinhateiro.
O Alto Douro Vinhateiro é uma zona particularmente representativa da paisagem que caracteriza a vasta Região Demarcada do Douro, a mais antiga região vitícola regulamentada do mundo. A paisagem cultural do Alto Douro combina a natureza monumental do vale do rio Douro, feito de encostas íngremes e solos pobres e acidentados, com a acção ancestral e contínua do Homem, adaptando o espaço às necessidades agrícolas de tipo mediterrâneo que a região suporta. Esta relação íntima entre a actividade humana e a natureza permitiu criar um ecossistema de valor único, onde as características do terreno são aproveitadas de forma exemplar, com a modelação da paisagem em socalcos, preservando-a da erosão e permitindo o cultivo da vinha. A região produz o famoso vinho do Porto, representando o principal vector de dinamização da tecnologia, da cultura, das tradições e da economia locais. O grande investimento humano nesta paisagem de singular beleza tornou possível a fixação das populações desde a longínqua ocupação romana, e dele resultou uma realidade viva e em evolução, ao mesmo tempo testemunho do passado e motor do futuro, solidamente ancorado na optimização dos recursos naturais e na preservação das ambiências.

Fonte: www.ippar.pt/patrimonio/mundial/altodouro.html

http://fotolia.com

Socalcos do Douro


S_Joao_Pesqueira_douro_socalcos03_bw
Originally uploaded by VRfoto.

SÂO JOÃO DA PESQUEIRA (Portugal): Alto Douro Vinhateiro.
Paisagem de socalcos.

http://fotolia.com

Paisagem de socalcos


S_Joao_Pesqueira_douro_socalcos03
Originally uploaded by VRfoto.

SÂO JOÃO DA PESQUEIRA (Portugal): Alto Douro Vinhateiro.
Paisagem de socalcos.

http://fotolia.com

domingo, agosto 30, 2009

Alto Douro Vinhateiro


S_Joao_Pesqueira_douro_socalcos02
Originally uploaded by VRfoto.

SÂO JOÃO DA PESQUEIRA (Portugal): Alto Douro Vinhateiro.
O Alto Douro Vinhateiro é uma zona particularmente representativa da paisagem que caracteriza a vasta Região Demarcada do Douro, a mais antiga região vitícola regulamentada do mundo. A paisagem cultural do Alto Douro combina a natureza monumental do vale do rio Douro, feito de encostas íngremes e solos pobres e acidentados, com a acção ancestral e contínua do Homem, adaptando o espaço às necessidades agrícolas de tipo mediterrâneo que a região suporta. Esta relação íntima entre a actividade humana e a natureza permitiu criar um ecossistema de valor único, onde as características do terreno são aproveitadas de forma exemplar, com a modelação da paisagem em socalcos, preservando-a da erosão e permitindo o cultivo da vinha. A região produz o famoso vinho do Porto, representando o principal vector de dinamização da tecnologia, da cultura, das tradições e da economia locais. O grande investimento humano nesta paisagem de singular beleza tornou possível a fixação das populações desde a longínqua ocupação romana, e dele resultou uma realidade viva e em evolução, ao mesmo tempo testemunho do passado e motor do futuro, solidamente ancorado na optimização dos recursos naturais e na preservação das ambiências.

Fonte: www.ippar.pt/patrimonio/mundial/altodouro.html

http://fotolia.com

Alto Douro Vinhateiro


S_Joao_Pesqueira_douro_socalcos01_sp
Originally uploaded by VRfoto.

SÂO JOÃO DA PESQUEIRA (Portugal): Alto Douro Vinhateiro.
A Região Vinhateira do Alto Douro ou Alto Douro Vinhateiro é uma área do nordeste de Portugal com mais de 26 mil hectares, classificada pela UNESCO, em 14 de Dezembro de 2001, como Património da Humanidade, na categoria de paisagem cultural e rodeada de montanhas que lhe dão características mesológicas e climáticas particulares
Esta região, que é banhada pelo Rio Douro e faz parte do chamado Douro Vinhateiro, produz vinho há mais de 2000 anos, entre os quais, o mundialmente célebre vinho do Porto.
A longa tradição de viticultura produziu uma paisagem cultural de beleza excepcional que reflecte a sua evolução tecnológica, social e económica.

Fonte: pt.wikipedia.org/

http://fotolia.com

Alto Douro Vinhateiro


S_Joao_Pesqueira_douro_socalcos
Originally uploaded by VRfoto.

SÂO JOÃO DA PESQUEIRA (Portugal): Alto Douro Vinhateiro.
A Região Vinhateira do Alto Douro ou Alto Douro Vinhateiro é uma área do nordeste de Portugal com mais de 26 mil hectares, classificada pela UNESCO, em 14 de Dezembro de 2001, como Património da Humanidade, na categoria de paisagem cultural e rodeada de montanhas que lhe dão características mesológicas e climáticas particulares
Esta região, que é banhada pelo Rio Douro e faz parte do chamado Douro Vinhateiro, produz vinho há mais de 2000 anos, entre os quais, o mundialmente célebre vinho do Porto.
A longa tradição de viticultura produziu uma paisagem cultural de beleza excepcional que reflecte a sua evolução tecnológica, social e económica.

Fonte: pt.wikipedia.org/

http://fotolia.com

Rio Douro


S_Joao_Pesqueira_rio_douro
Originally uploaded by VRfoto.

SÂO JOÃO DA PESQUEIRA (Portugal): Rio Douro.
A paisagem natural envolvente é de grande beleza, com o rio Douro recortado por montes xistosos onde casas típicas rurais e senhoriais se entrançam, rodeadas por socalcos de vinhas, amendoeiras e olivais.

http://fotolia.com

sábado, agosto 29, 2009

Rua de Ucanha


Ucanha_rua02
Originally uploaded by VRfoto.

TAROUCA (Portugal): Rua de Ucanha.
Ucanha é uma freguesia portuguesa do concelho de Tarouca, onde nasceu o célebre filólogo e etnólogo José Leite de Vasconcelos (1858-1941). Sede de concelho até às reformas liberais, fica situada nas margens irregulares do rio Varosa e pertencia ao couto do convento cisterciense de Salzedas. O seu nome remete a um vocábulo que pode designar casebre ou lugar de diversão.
As suas ruas são estreitas, com casas coloridas.

http://fotolia.com

sábado, agosto 22, 2009

Ponte medieval de Ucanha


Ucanha_ponte01
Originally uploaded by VRfoto.

TAROUCA (Portugal): Ponte medieval de Ucanha, vista da torre.

http://fotolia.com

Ponte fortificada de Ucanha


Ucanha_ponte_torre01
Originally uploaded by VRfoto.

TAROUCA (Portugal): Ponte fortificada de Ucanha.
A primeira configuração deste monumento único deve ter ocorrido na segunda metade do século XII, altura em que esta parcela do território estava vinculada ao Couto do Mosteiro de Salzedas. A ponte encontrava-se à entrada dessa circunscrição e o aglomerado urbano formado em torno dela aparece denominado como Vila da Ponte. O conjunto patrimonial que hoje vemos, todavia, data de época posterior, eventualmente do século XIV, época em que se reconstruiu a ponte e a torre que a tutela.
A ponte é em duplo cavalete, como foi normal na pontística medieval, e encontra-se suportada por cinco arcos apontados, sendo o central de vão muito maior, vencendo a largura do leito do rio Varosa. Os pés direitos deste arco médio são os únicos a possuir reforço por talhamares.
Mas a maior originalidade deste monumento é a associação de uma torre à ponte, como forma de protecção e de controlo de pessoas e bens. Num mundo feudal, em que as passagens sobre os rios eram poucas, a cobrança de portagem constituía um rendimento adicional (em alguns casos de extrema importância), e é precisamente à luz desse imposto que se deve entender a existência desta torre. Implanta-se do lado do mosteiro de Tarouca e é de planta quadrangular com três pisos, dispondo de dispositivos militares nas quatro faces, concretamente balcões de matacães axiais ao nível do derradeiro andar, complementados por escassas seteiras.

Fonte: www.ippar.pt/

http://fotolia.com

sexta-feira, agosto 21, 2009

Torre de Ucanha


Ucanha_torre
Originally uploaded by VRfoto.

TAROUCA (Portugal): Torre de Ucanha.
A primeira configuração deste monumento único deve ter ocorrido na segunda metade do século XII, altura em que esta parcela do território estava vinculada ao Couto do Mosteiro de Salzedas. A ponte encontrava-se à entrada dessa circunscrição e o aglomerado urbano formado em torno dela aparece denominado como Vila da Ponte. O conjunto patrimonial que hoje vemos, todavia, data de época posterior, eventualmente do século XIV, época em que se reconstruiu a ponte e a torre que a tutela.
A ponte é em duplo cavalete, como foi normal na pontística medieval, e encontra-se suportada por cinco arcos apontados, sendo o central de vão muito maior, vencendo a largura do leito do rio Varosa. Os pés direitos deste arco médio são os únicos a possuir reforço por talhamares.
Mas a maior originalidade deste monumento é a associação de uma torre à ponte, como forma de protecção e de controlo de pessoas e bens. Num mundo feudal, em que as passagens sobre os rios eram poucas, a cobrança de portagem constituía um rendimento adicional (em alguns casos de extrema importância), e é precisamente à luz desse imposto que se deve entender a existência desta torre. Implanta-se do lado do mosteiro de Tarouca e é de planta quadrangular com três pisos, dispondo de dispositivos militares nas quatro faces, concretamente balcões de matacães axiais ao nível do derradeiro andar, complementados por escassas seteiras.

Fonte: www.ippar.pt/

Ponte fortificada de Ucanha


Ucanha_ponte_torre
Originally uploaded by VRfoto.

TAROUCA (Portugal): Ponte fortificada de Ucanha.
A primeira configuração deste monumento único deve ter ocorrido na segunda metade do século XII, altura em que esta parcela do território estava vinculada ao Couto do Mosteiro de Salzedas. A ponte encontrava-se à entrada dessa circunscrição e o aglomerado urbano formado em torno dela aparece denominado como Vila da Ponte. O conjunto patrimonial que hoje vemos, todavia, data de época posterior, eventualmente do século XIV, época em que se reconstruiu a ponte e a torre que a tutela.
A ponte é em duplo cavalete, como foi normal na pontística medieval, e encontra-se suportada por cinco arcos apontados, sendo o central de vão muito maior, vencendo a largura do leito do rio Varosa. Os pés direitos deste arco médio são os únicos a possuir reforço por talhamares.
Mas a maior originalidade deste monumento é a associação de uma torre à ponte, como forma de protecção e de controlo de pessoas e bens. Num mundo feudal, em que as passagens sobre os rios eram poucas, a cobrança de portagem constituía um rendimento adicional (em alguns casos de extrema importância), e é precisamente à luz desse imposto que se deve entender a existência desta torre. Implanta-se do lado do mosteiro de Tarouca e é de planta quadrangular com três pisos, dispondo de dispositivos militares nas quatro faces, concretamente balcões de matacães axiais ao nível do derradeiro andar, complementados por escassas seteiras.

Fonte: www.ippar.pt/

http://fotolia.com

Rua de Ucanha


Ucanha_rua01
Originally uploaded by VRfoto.

TAROUCA (Portugal): Rua de Ucanha.
Ucanha é uma freguesia portuguesa do concelho de Tarouca, onde nasceu o célebre filólogo e etnólogo José Leite de Vasconcelos (1858-1941). Sede de concelho até às reformas liberais, fica situada nas margens irregulares do rio Varosa e pertencia ao couto do convento cisterciense de Salzedas. O seu nome remete a um vocábulo que pode designar casebre ou lugar de diversão.
As suas ruas são estreitas, com casas coloridas.
Aqui vale a pena visitar a ponte-torre fortificada (do século XII), monumento muito raro em Portugal.

http://fotolia.com

quinta-feira, agosto 20, 2009

Rua de Ucanha


Ucanha_rua
Originally uploaded by VRfoto.

TAROUCA (Portugal): Rua de Ucanha.
Ucanha é uma freguesia portuguesa do concelho de Tarouca, onde nasceu o célebre filólogo e etnólogo José Leite de Vasconcelos (1858-1941). Sede de concelho até às reformas liberais, fica situada nas margens irregulares do rio Varosa e pertencia ao couto do convento cisterciense de Salzedas. O seu nome remete a um vocábulo que pode designar casebre ou lugar de diversão.
As suas ruas são estreitas, com casas coloridas.

http://fotolia.com

Janelas


Salzedas_janelas
Originally uploaded by VRfoto.

TAROUCA (Portugal): Janelas, em Salzedas.

http://fotolia.com

Salzedas_judiaria09


Salzedas_judiaria09
Originally uploaded by VRfoto.

TAROUCA (Portugal): Bairro do Quelho.
Tradicionalmente considerada a antiga Judiaria de Salzedas, o Bairro do Quelho correponde, antes, ao primitivo aglomerado urbano gerado em torno do Mosteiro medieval.
Trata-se de um conjunto maioritariamente habitacional, que revela ainda muito do marco rural em que foi gerado, evidenciando alguns pisos térreos a função de curro para animais, sendo a parte residencial limitada ao segundo piso e, caso exista, terceiro. Abundam ainda vestígios de alpendres em madeira, bem como pequenos corpos avançados nos pisos superiores, por forma a aumentar ligeiramente o espaço interno, à custa de uma sobreposição com o espaço público, ele próprio muito reduzido e composto por apertadas e sinuosas artérias de comunicação. Esta disposição dominante caracteriza ainda a maior parte das edificações ao longo da Rua da Senhora do Arco, Rua da Ramalha, Rua do Carvalho e Praça António Pereira de Sousa, contribuindo para a homogeneidade do conjunto.

Fonte: www.ippar.pt/

http://fotolia.com

quarta-feira, agosto 19, 2009

Salzedas_judiaria08


Salzedas_judiaria08
Originally uploaded by VRfoto.

TAROUCA (Portugal): Bairro do Quelho.
Tradicionalmente considerada a antiga Judiaria de Salzedas, o Bairro do Quelho correponde, antes, ao primitivo aglomerado urbano gerado em torno do Mosteiro medieval.
Trata-se de um conjunto maioritariamente habitacional, que revela ainda muito do marco rural em que foi gerado, evidenciando alguns pisos térreos a função de curro para animais, sendo a parte residencial limitada ao segundo piso e, caso exista, terceiro. Abundam ainda vestígios de alpendres em madeira, bem como pequenos corpos avançados nos pisos superiores, por forma a aumentar ligeiramente o espaço interno, à custa de uma sobreposição com o espaço público, ele próprio muito reduzido e composto por apertadas e sinuosas artérias de comunicação. Esta disposição dominante caracteriza ainda a maior parte das edificações ao longo da Rua da Senhora do Arco, Rua da Ramalha, Rua do Carvalho e Praça António Pereira de Sousa, contribuindo para a homogeneidade do conjunto.

Fonte: www.ippar.pt/

http://fotolia.com

Bairro do Quelho


Salzedas_judiaria07
Originally uploaded by VRfoto.

TAROUCA (Portugal): Bairro do Quelho.
Tradicionalmente considerada a antiga Judiaria de Salzedas, o Bairro do Quelho correponde, antes, ao primitivo aglomerado urbano gerado em torno do Mosteiro medieval.
Trata-se de um conjunto maioritariamente habitacional, que revela ainda muito do marco rural em que foi gerado, evidenciando alguns pisos térreos a função de curro para animais, sendo a parte residencial limitada ao segundo piso e, caso exista, terceiro. Abundam ainda vestígios de alpendres em madeira, bem como pequenos corpos avançados nos pisos superiores, por forma a aumentar ligeiramente o espaço interno, à custa de uma sobreposição com o espaço público, ele próprio muito reduzido e composto por apertadas e sinuosas artérias de comunicação. Esta disposição dominante caracteriza ainda a maior parte das edificações ao longo da Rua da Senhora do Arco, Rua da Ramalha, Rua do Carvalho e Praça António Pereira de Sousa, contribuindo para a homogeneidade do conjunto.

Fonte: www.ippar.pt/

http://fotolia.com

Bairro do Quelho


Salzedas_judiaria06
Originally uploaded by VRfoto.

TAROUCA (Portugal): Bairro do Quelho.
Tradicionalmente considerada a antiga Judiaria de Salzedas, o Bairro do Quelho correponde, antes, ao primitivo aglomerado urbano gerado em torno do Mosteiro medieval.
Trata-se de um conjunto maioritariamente habitacional, que revela ainda muito do marco rural em que foi gerado, evidenciando alguns pisos térreos a função de curro para animais, sendo a parte residencial limitada ao segundo piso e, caso exista, terceiro. Abundam ainda vestígios de alpendres em madeira, bem como pequenos corpos avançados nos pisos superiores, por forma a aumentar ligeiramente o espaço interno, à custa de uma sobreposição com o espaço público, ele próprio muito reduzido e composto por apertadas e sinuosas artérias de comunicação. Esta disposição dominante caracteriza ainda a maior parte das edificações ao longo da Rua da Senhora do Arco, Rua da Ramalha, Rua do Carvalho e Praça António Pereira de Sousa, contribuindo para a homogeneidade do conjunto.

Fonte: www.ippar.pt/

http://fotolia.com

terça-feira, agosto 18, 2009

Bairro do Quelho


Salzedas_judiaria05
Originally uploaded by VRfoto.

TAROUCA (Portugal): Bairro do Quelho.
Tradicionalmente considerada a antiga Judiaria de Salzedas, o Bairro do Quelho correponde, antes, ao primitivo aglomerado urbano gerado em torno do Mosteiro medieval.
Trata-se de um conjunto maioritariamente habitacional, que revela ainda muito do marco rural em que foi gerado, evidenciando alguns pisos térreos a função de curro para animais, sendo a parte residencial limitada ao segundo piso e, caso exista, terceiro. Abundam ainda vestígios de alpendres em madeira, bem como pequenos corpos avançados nos pisos superiores, por forma a aumentar ligeiramente o espaço interno, à custa de uma sobreposição com o espaço público, ele próprio muito reduzido e composto por apertadas e sinuosas artérias de comunicação. Esta disposição dominante caracteriza ainda a maior parte das edificações ao longo da Rua da Senhora do Arco, Rua da Ramalha, Rua do Carvalho e Praça António Pereira de Sousa, contribuindo para a homogeneidade do conjunto.

Fonte: www.ippar.pt/

http://fotolia.com

Bairro do Quelho


Salzedas_judiaria04
Originally uploaded by VRfoto.

TAROUCA (Portugal): Bairro do Quelho.
Tradicionalmente considerada a antiga Judiaria de Salzedas, o Bairro do Quelho correponde, antes, ao primitivo aglomerado urbano gerado em torno do Mosteiro medieval.
Trata-se de um conjunto maioritariamente habitacional, que revela ainda muito do marco rural em que foi gerado, evidenciando alguns pisos térreos a função de curro para animais, sendo a parte residencial limitada ao segundo piso e, caso exista, terceiro. Abundam ainda vestígios de alpendres em madeira, bem como pequenos corpos avançados nos pisos superiores, por forma a aumentar ligeiramente o espaço interno, à custa de uma sobreposição com o espaço público, ele próprio muito reduzido e composto por apertadas e sinuosas artérias de comunicação. Esta disposição dominante caracteriza ainda a maior parte das edificações ao longo da Rua da Senhora do Arco, Rua da Ramalha, Rua do Carvalho e Praça António Pereira de Sousa, contribuindo para a homogeneidade do conjunto.

Fonte: www.ippar.pt/pls/dippar/pat_pesq_detalhe?code_pass=72576

http://fotolia.com

Judiaria de Salzedas


Salzedas_judiaria03
Originally uploaded by VRfoto.

TAROUCA (Portugal): Judiaria de Salzedas.
Este conjunto desenvolve-se a partir de curiosos arruamentos e apresenta-se como um dos mais autênticos e importantes exemplos da arquitectura vernacular, de carácter urbano, representando um excelente retrato do que seria uma urbe medieval. De traçado muito irregular é moldado pelas construções que o compõem e permitem a passagem de uns para os outros através de invulgares passadiços, integrados nas arquitecturas.

http://fotolia.com

segunda-feira, agosto 17, 2009

Judiaria de Salzedas


Salzedas_judiaria02
Originally uploaded by VRfoto.

TAROUCA (Portugal): Judiaria de Salzedas.
Este conjunto desenvolve-se a partir de curiosos arruamentos e apresenta-se como um dos mais autênticos e importantes exemplos da arquitectura vernacular, de carácter urbano, representando um excelente retrato do que seria uma urbe medieval. De traçado muito irregular é moldado pelas construções que o compõem e permitem a passagem de uns para os outros através de invulgares passadiços, integrados nas arquitecturas.

http://fotolia.com

Judiaria de Salzedas


Salzedas_judiaria01
Originally uploaded by VRfoto.

TAROUCA (Portugal): Judiaria de Salzedas.
Este conjunto desenvolve-se a partir de curiosos arruamentos e apresenta-se como um dos mais autênticos e importantes exemplos da arquitectura vernacular, de carácter urbano, representando um excelente retrato do que seria uma urbe medieval. De traçado muito irregular é moldado pelas construções que o compõem e permitem a passagem de uns para os outros através de invulgares passadiços, integrados nas arquitecturas.

http://fotolia.com

Judiaria de Salzedas


Salzedas_judiaria
Originally uploaded by VRfoto.

TAROUCA (Portugal): Judiaria de Salzedas.
Este conjunto desenvolve-se a partir de curiosos arruamentos e apresenta-se como um dos mais autênticos e importantes exemplos da arquitectura vernacular, de carácter urbano, representando um excelente retrato do que seria uma urbe medieval. De traçado muito irregular é moldado pelas construções que o compõem e permitem a passagem de uns para os outros através de invulgares passadiços, integrados nas arquitecturas.

http://fotolia.com

domingo, agosto 16, 2009

Passagem entre os claustros


Salzedas_mosteiro_claustro07
Originally uploaded by VRfoto.

TAROUCA (Portugal): Passagem entre os claustros do Mosteiro de Santa Maria de Salzedas.

http://fotolia.com

Azulejos do Claustro Grande


Salzedas_mosteiro_azulejos01
Originally uploaded by VRfoto.

TAROUCA (Portugal): Azulejos do Claustro Grande do Mosteiro de Santa Maria de Salzedas.

http://fotolia.com

Azulejos


Salzedas_mosteiro_azulejos
Originally uploaded by VRfoto.

TAROUCA (Portugal): Azulejos da Sala do Capítulo do Mosteiro de Santa Maria de Salzedas.

http://fotolia.com

Sala do Capítulo do Mosteiro de Santa Maria de Salzedas


Salzedas_mosteiro_sala_capitulo
Originally uploaded by VRfoto.

TAROUCA (Portugal): Sala do Capítulo do Mosteiro de Santa Maria de Salzedas.
A chave da abóbada mostra as armas de Císter.

http://fotolia.com

sábado, agosto 15, 2009

Claustro Grande do Mosteiro de Santa Maria de Salzedas


Salzedas_mosteiro_claustro06
Originally uploaded by VRfoto.

TAROUCA (Portugal): Claustro Grande do Mosteiro de Santa Maria de Salzedas.
O claustro mais amplo é definido, ao nível térreo, por arcos plenos que abrem para galerias cobertas por abóbadas de cruzamento de ogivas.

http://fotolia.com

sexta-feira, agosto 14, 2009

Claustro Grande do Mosteiro de Santa Maria de Salzedas


Salzedas_mosteiro_claustro05
Originally uploaded by VRfoto.

TAROUCA (Portugal): Claustro Grande do Mosteiro de Santa Maria de Salzedas.
O claustro mais amplo é definido, ao nível térreo, por arcos plenos que abrem para galerias cobertas por abóbadas de cruzamento de ogivas.

http://fotolia.com

Claustro Grande do Mosteiro de Santa Maria de Salzedas


Salzedas_mosteiro_claustro04
Originally uploaded by VRfoto.

TAROUCA (Portugal): Claustro Grande do Mosteiro de Santa Maria de Salzedas.
O claustro mais amplo é definido, ao nível térreo, por arcos plenos que abrem para galerias cobertas por abóbadas de cruzamento de ogivas.

http://fotolia.com

Claustro do Mosteiro de Santa Maria de Salzedas


Salzedas_mosteiro_claustro04
Originally uploaded by VRfoto.

TAROUCA (Portugal): Claustro do Mosteiro de Santa Maria de Salzedas.

http://fotolia.com

quarta-feira, agosto 12, 2009

Órgão do Mosteiro de Santa Maria de Salzedas


Salzedas_mosteiro_orgao
Originally uploaded by VRfoto.

TAROUCA (Portugal): Órgão do Mosteiro de Santa Maria de Salzedas.

http://fotolia.com

Capela-Mor da Igreja do Mosteiro de Santa Maria de Salzedas


Salzedas_mosteiro_altar-mor
Originally uploaded by VRfoto.

TAROUCA (Portugal): Capela-Mor da Igreja do Mosteiro de Santa Maria de Salzedas.
A igreja é uma das mais vastas do país, com três naves, conservando a capela-mor algumas características da primitiva estrutura românica.
O altar-mor impressiona pelo porte e pela tela de Pascoal Parente "A Morte da Virgem".

http://fotolia.com

Nave lateral da Igreja do Mosteiro de Santa Maria de Salzedas


Salzedas_mosteiro_nave_lateral01
Originally uploaded by VRfoto.

TAROUCA (Portugal): Nave lateral da Igreja do Mosteiro de Santa Maria de Salzedas.
A igreja possui três naves. Da igreja medieval restam as colunas, abóbadas, capitéis e arcos quebrados primitivos, postos a descobertos em 1996 pelo IPPAR.

http://fotolia.com

terça-feira, agosto 11, 2009

Nave lateral da Igreja do Mosteiro de Santa Maria de Salzedas


Salzedas_mosteiro_nave_lateral
Originally uploaded by VRfoto.

TAROUCA (Portugal): Nave lateral da Igreja do Mosteiro de Santa Maria de Salzedas.
A igreja possui três naves. Da igreja medieval restam as colunas, abóbadas, capitéis e arcos quebrados primitivos, postos a descobertos em 1996 pelo IPPAR.

http://fotolia.com

Abóbada da Igreja do Mosteiro de Santa Maria de Salzedas


Salzedas_mosteiro_abobada
Originally uploaded by VRfoto.

TAROUCA (Portugal): Abóbada da Igreja do Mosteiro de Santa Maria de Salzedas.
A igreja é uma das mais vastas do país, sendo a abódada da nave principal quebrada, assente em arcos torais, um resquício da primitiva estrutura românica.

http://fotolia.com

Nave central do Mosteiro de Santa Maria de Salzedas


Salzedas_mosteiro_nave_central
Originally uploaded by VRfoto.

TAROUCA (Portugal): Nave central do Mosteiro de Santa Maria de Salzedas.
Da igreja medieval restam as colunas, abóbadas, capitéis e arcos quebrados primitivos, postos a descobertos em 1996 pelo IPPAR. A igreja é uma das mais vastas do país, com três naves.

http://fotolia.com

segunda-feira, agosto 10, 2009

Fachada do Mosteiro de Salzedas


Salzedas_mosteiro_fachada02
Originally uploaded by VRfoto.

TAROUCA (Portugal): Fachada do Mosteiro de Salzedas.
Profundamente remodelado no século XVIII, aproveitando o ouro do Brasil para um novo momento de glória na sua atribulada existência, as suas torres acabariam por ficar incompletas devido às dificuldades provocadas pelas invasões napoleónicas. Em 1834, com a extinção das Ordens Religiosas, tem o seu epílogo como casa conventual. A ruína e o abandono flagelaram-no quase até à actualidade.

http://fotolia.com

Fachada do Mosteiro de Salzedas


Salzedas_mosteiro_fachada
Originally uploaded by VRfoto.

TAROUCA (Portugal): Fachada do Mosteiro de Salzedas.
O Mosteiro de Santa Maria de Salzedas situa-se na freguesia de Salzedas, concelho de Tarouca, Portugal. Pertencente à Ordem de Cister, data do século XII, e o seu espaço foi doado pela mulher de D. Egas Moniz. Sofreu obras de ampliação nos séculos XVI, XVII e XVIII, nomeadamente ao nível da fachada e dos claustros.
Da igreja medieval restam as colunas, abóbadas, capitéis e arcos quebrados primitivos, postos a descobertos em 1996 pelo IPPAR. A igreja é uma das mais vastas do país, com três naves, conservando a capela-mor algumas características da primitiva estrutura românica.

http://fotolia.com

Mosteiro de São João de Tarouca


Tarouca_Mosteiro_S_Joao_Tarouca04
Originally uploaded by VRfoto.

TAROUCA (Portugal): Mosteiro de São João de Tarouca.
Um dos primeiros da ordem de Cister construído e Portugal. Apesar das alterções de que foi alvo nos séculos XVII e XVIII, a igreja do antigo convento não perdeu as suas proporções, com a rosácea e os contrafortes a emprestarem-lhe um carácter medieval.

Fonte: Guia das Maravilhas de Portugal

http://fotolia.com