Inquérito

Crie seu próprio questionário de feedback de usuário

domingo, novembro 30, 2008

Merida_anfiteatro_entrada


Merida_anfiteatro_entrada
Originally uploaded by VRfoto.

MERIDA (Espanha): Entrada principal para o anfiteatro romano.

Merida_anfiteatro


Merida_anfiteatro
Originally uploaded by VRfoto.

MÉRIDA (Espanha): Anfiteatro.
Segundo as inscrições, o anfiteatro inaugurou-se no ano 8 a.C., com a celebração de jogos de gladiadores. A forma da construção é elíptica. A parte central da arena era coberta com um pavimento de madeira onde, por baixo, se situavam as jaulas das feras para acesso à arena.
Calcula-se que o recinto comportava 15.000 espectadores.
Nos extremos do seu eixo partiam corredores que acediam à arena. Nesses corredores ficavam as dependências dos gladiadores e também jaulas para as feras.

sábado, novembro 29, 2008

Vilarinho_seco_revisitado01


Vilarinho_seco_revisitado01
Originally uploaded by VRfoto.

BOTICAS (Portugal): Aldeia de Vilarinho Seco.
Vilarinho Seco é uma das mais bem conservadas aldeias barrosãs. Aqui abundam os espigueiros em granito, as casas com telhados de colmo e alguns habitantes ainda envergam os trajes tradicionais. Em pleno centro do povoado fica um magnífico exemplo de arquitectura popular: um largo com o tanque, o cruzeiro e a capela. A rua principal passa sob um arco, que corresponde a uma passagem superior, ligando as casas de habitação às cortes do gado. Pertence ao concelho de Boticas, do qual dista cerca de duas dezenas de quilómetros através da estrada para a localidade de Salto.

Vilarinho_Seco_revisitado


Vilarinho_Seco_revisitado
Originally uploaded by VRfoto.

BOTICAS (Portugal): Aldeia de Vilarinho Seco.
Vilarinho Seco é uma das mais bem conservadas aldeias barrosãs. Aqui abundam os espigueiros em granito, as casas com telhados de colmo e alguns habitantes ainda envergam os trajes tradicionais. Em pleno centro do povoado fica um magnífico exemplo de arquitectura popular: um largo com o tanque, o cruzeiro e a capela. A rua principal passa sob um arco, que corresponde a uma passagem superior, ligando as casas de habitação às cortes do gado. Pertence ao concelho de Boticas, do qual dista cerca de duas dezenas de quilómetros através da estrada para a localidade de Salto.

segunda-feira, novembro 24, 2008

quarta-feira, novembro 19, 2008

terça-feira, novembro 18, 2008

segunda-feira, novembro 17, 2008

domingo, novembro 16, 2008

Porto_fachada_coluna


Porto_fachada_coluna
Originally uploaded by VRfoto.

Contrariamente ao que de imediato se possa pensar, esta monumental coluna, no Terreiro da Sé, não é o Pelourinho portuense. É uma obra colocada pela Cãmara em 1940.
O verdadeiro pelourinho, manuelino, foi destruído no século XVIII.

Porto_pelourinho


Porto_pelourinho
Originally uploaded by VRfoto.

PORTO (Portugal): Terreiro da Sé.

sexta-feira, novembro 14, 2008

quinta-feira, novembro 13, 2008

Porto_se_bairro


Porto_se_bairro
Originally uploaded by VRfoto.

PORTO (Portugal): Uma vista para o bairro da Sé.

Porto_se01


Porto_se01
Originally uploaded by VRfoto.

PORTO (Portugal): Sé Catedral.
Situada no monte da Penaventosa, a Sé portuense é um templo de origem românica datado do século XII. A sua primeira decoração baseou-se na Sé Velha de Coimbra. Ao longo dos anos sofreu diversas alterações decorativas, principalmente no período barroco (séc. XVII-XVIII). No interior conserva ainda o aspecto de uma igreja-fortaleza, com ameias.
A abóbada da nave central é sustentada por arcobotantes, sendo a Sé do Porto um dos primeiros edifícos portugueses em que se utilizou esse elemento arquitectónico.

quarta-feira, novembro 12, 2008

Porto_igreja_congregados


Porto_igreja_congregados
Originally uploaded by VRfoto.

PORTO (Portugal): Igreja dos Congregados.
A igreja dos congregados foi inaugurada a 8 de Dezembro de 1680 e pertencia à Congregação de Filipe de Néri e está situada na Praça Almeida Garrett, na esquina oposta à estação de S. Bento. Tem a fachada decorada pelos magníficos azulejos de Jorge Colaço e por vitrais de Robert Léone executados em 1920. A capela-mor foi reconstruída no séc. XIX, com pinturas murais de Acácio Lino.

terça-feira, novembro 11, 2008

segunda-feira, novembro 10, 2008

domingo, novembro 09, 2008

Porto_Igreja_clerigos02


Porto_Igreja_clerigos02
Originally uploaded by VRfoto.

PORTO (Portugal): Igreja dos Clérigos.

Porto_Igreja_clerigos01


Porto_Igreja_clerigos01
Originally uploaded by VRfoto.

PORTO (Portugal): Igreja dos Clérigos.
Este conjunto arquitectonico foi construido entre 1732 e 1763, por iniciativa da irmandade dos Clérigos Pobres. A execução do projecto foi entregue ao arquitecto italiano Nicolau Nasoni. A fronteira da igreja é profusamente decorada com elementos do período barroco.

sábado, novembro 08, 2008

Porto_Torre_clerigos01


Porto_Torre_clerigos01
Originally uploaded by VRfoto.

PORTO (Portugal): Torre dos Clérigos.
Considerado por muitos o ex libris da cidade do Porto, esta torre sineira faz parte da igreja com o mesmo nome, construída entre 1731 e 1763, a partir de um projecto de Nicolau Nasoni. Foi mandada erigir por D. Jerónimo de Távora Noronha Leme e Sernache, a pedido da Irmandade dos Clérigos Pobres.
Tem seis andares e 76 metros de altura, que se sobem por uma escada em espiral com 225 degraus. Era, na altura da sua construção, o edifício mais alto de Portugal.

sexta-feira, novembro 07, 2008

Porto_Rua_Cedofeita


Porto_Rua_Cedofeita
Originally uploaded by VRfoto.

PORTO (Portugal): Rua de Cedofeita.

Porto_igreja_carmo


Porto_igreja_carmo
Originally uploaded by VRfoto.

PORTO (Portugal): Igreja do Carmo.
Projectada pelo arquitecto José de Figueiredo Seixas, esta Igreja de fachada barroca foi construída, entre 1756 e 1768, pela Ordem Terceira do Carmo. A fachada lateral da Igreja do Carmo, voltada a Oeste, está revestida por um imponente painel de azulejos, datados de 1912, representando o ajuntamento dos Cristãos no monte Carmelo, para assistirem ao destino do repto lançado aos Pagãos.

quarta-feira, novembro 05, 2008

Porto_Ig_Cedofeita_portal_timpano02


Porto_Ig_Cedofeita_portal_timpano02
Originally uploaded by VRfoto.

PORTO (Portugal): Tímpano e capitéis do portal principal da Igreja de S. Martinho de Cedofeita.

Porto_Ig_Cedofeita_portal_02


Porto_Ig_Cedofeita_portal_02
Originally uploaded by VRfoto.

PORTO (Portugal): Porta ocidental da Igreja de São Martinho de Cedofeita.

terça-feira, novembro 04, 2008

Porto_Ig_Cedofeita_portal_timpano01


Porto_Ig_Cedofeita_portal_timpano01
Originally uploaded by VRfoto.

PORTO (Portugal): Tímpano do portal norte da Igreja de S. Martinho da Cedofeita.
A Igreja de Cedofeita é um dos primeiros monumentos do Norte a repetir o formulário escultórico e iconográfico coimbrão. Particularmente importante a este nível é o tímpano do portal Norte, decorado com um Agnus Dei (cordeiro místico que simboliza Cristo no Apocalipse), cujo tratamento anatómico, composição e envolvimento numa laçaria espiralada vegetal é praticamente idêntico a uma peça conservada no Museu N. Machado de Castro, em Coimbra.

Porto_Ig_Cedofeita_portal_01


Porto_Ig_Cedofeita_portal_01
Originally uploaded by VRfoto.

PORTO (Portugal): Porta norte da Igreja de São Martinho de Cedofeita.

segunda-feira, novembro 03, 2008

Porto_casa_musica01


Porto_casa_musica01
Originally uploaded by VRfoto.

PORTO (Portugal): Casa da Música.
A Casa da Musica no Porto, projectada pelo arquitecto Rem Koolhaas, foi o simbolo do "Porto Capital da Cultura 2001", tendo demorado 5 anos para ficar concluida, e custou aproximadamente 100 milhões de euros. Todo a envolvente funciona como parte estrutural, construida em betão macisso com paredes de 40cm inclinadas em vários angulos. Estas paredes exteriores actuam em conjunto como um bloco só, como peça fundamental na estrutura. O peso central desta estrutura apoia-se em duas grandes paredes de 1m de espessura de cada lado do auditório principal, e que sobem desde as fundações até à cobertura.

domingo, novembro 02, 2008

Porto_casa_musica


Porto_casa_musica
Originally uploaded by VRfoto.

PORTO (Portugal): Casa da Música.
A Casa da Musica no Porto, projectada pelo arquitecto Rem Koolhaas, foi o simbolo do "Porto Capital da Cultura 2001", tendo demorado 5 anos para ficar concluida, e custou aproximadamente 100 milhões de euros. Todo a envolvente funciona como parte estrutural, construida em betão macisso com paredes de 40cm inclinadas em vários angulos. Estas paredes exteriores actuam em conjunto como um bloco só, como peça fundamental na estrutura. O peso central desta estrutura apoia-se em duas grandes paredes de 1m de espessura de cada lado do auditório principal, e que sobem desde as fundações até à cobertura.

sábado, novembro 01, 2008

Porto_monumento_guerra_peninsular01


Porto_monumento_guerra_peninsular01
Originally uploaded by VRfoto.

PORTO (Portugal): Monumento aos Heróis da Guerra Peninsular.
Na estatuária está representado o sacrifício do povo portuense na luta pela vitória sobre os franceses (Soult), nomeadamente, quer pela alusão à tragédia da Ponte das Barcas, no qual uma mãe aterrorizada com o seu filho ao colo procura resistir à força das águas;quer, pelo movimento da artilharia e a valente participação dos populares e das tropas que ali se bateram. No cimo da coluna aparece representada a vitória do patriotismo português sobre a águia do império Napoleónico.
A autoria é do arquitecto Marques da Silva e do escultor Alves de Sousa.

Fonte: www.lifecooler.com/Portugal/patrimonio/MonumentoaosHerois...

Porto_monumento_guerra_peninsular


Porto_monumento_guerra_peninsular
Originally uploaded by VRfoto.

PORTO (Portugal): Monumento aos Heróis da Guerra Peninsular.
Na estatuária está representado o sacrifício do povo portuense na luta pela vitória sobre os franceses (Soult), nomeadamente, quer pela alusão à tragédia da Ponte das Barcas, no qual uma mãe aterrorizada com o seu filho ao colo procura resistir à força das águas;quer, pelo movimento da artilharia e a valente participação dos populares e das tropas que ali se bateram. No cimo da coluna aparece representada a vitória do patriotismo português sobre a águia do império Napoleónico.
A autoria é do arquitecto Marques da Silva e do escultor Alves de Sousa.

Fonte: www.lifecooler.com/Portugal/patrimonio/MonumentoaosHerois...